jusbrasil.com.br
12 de Agosto de 2022

Como colocar limites no seu contrato de serviços - e ainda aumentar seus lucros

Bruno Zaramello, Advogado
Publicado por Bruno Zaramello
há 8 meses

Sabe aquele cliente que pede sucessivas alterações ou revisões em um trabalho já concluído e entregue?

Bem, talvez não te agrade ler o que eu vou escrever agora, mas, se você não combinou nada previamente em relação a essas revisões, a culpa disso não é do seu cliente.

Mas eu vou explicar melhor como você pode lidar com esse tipo de situação, e por que isso é tão importante para aumentar os lucros do seu negócio.

A solução pode até parecer meio óbvia para alguns, mas ainda tem muita gente apanhando nessa questão.

Esse é um tipo de situação muito comum, em especial para quem trabalha em T.I., marketing digital, mídias sociais e internet de uma forma geral, embora também aconteça bastante em outras áreas de atuação.

Claro que é normal e aceitável que o cliente solicite alterações em trabalhos entregues, até um certo limite.

O problema é justamente esse limite: se ele não está claro, você vai ter conflitos com o seu cliente.

E são conflitos totalmente desnecessários. Bastaria um cuidado simples para evitar isso.

No fim, você acaba até saindo no prejuízo, por gastar muito mais tempo do que deveria em um serviço, e também se estressa muito no processo.

Você entrega o trabalho e, digamos que, após uma semana em silêncio, o seu cliente pede para você mudar algo.

Você não fica exatamente feliz com isso, mas pensa: "ok. Faz parte do jogo".

Você atende ao pedido e entrega o que ele pediu.

Se passam mais algumas semanas, você até já está envolvido com outro projeto, chega uma mensagem de WhatsApp e, quem é?

Sim. É ele novamente pedindo mais alguma alteração.

Isso se repete mais algumas vezes e você percebe que, quando deu o preço, não contava com tanto retrabalho.

Isso significa prejuízo, pois, se nada foi combinado, é um tempo que você não vai ser pago para trabalhar.

A questão é que, se você não estabeleceu um limite de revisões ou alterações sobre o trabalho, tecnicamente, não tem muito o que fazer.

E esse é um erro muito comum. Inclusive, já vi colegas advogados sofrendo por conta disso.

Como evitar que o cliente peça alterações sem limites em um trabalho já entregue?

O primeiro passo começa antes da proposta do serviço.

Você precisa definir claramente qual vai ser o limite de solicitações de alterações que o cliente vai poder fazer após a entrega do trabalho, e o prazo que ele vai ter para fazer isso.

Você pode também definir que, a partir de certo ponto, você vai cobrar um preço X por cada alteração adicional.

Depois de definir isso, você precisa deixar essas informações bem claras na sua proposta para o cliente.

Aliás, é preciso muita atenção com a proposta, porque o que você colocar nela é válido como uma cláusula de contrato.

Eu falo isso porque sei que é muito comum, entre o envio da proposta e o início dos serviços, o prestador e o cliente combinarem algumas modificações.

Algumas vezes essas modificações são verbais, em outras por e-mail ou WhatsApp.

E é justamente aí que mora o perigo.

Muitos me procuram para ajudar a resolver problemas que esse tipo de situação gera.

A situação mais típica é que o prestador e o cliente não se lembrem de tudo o que foi combinado verbalmente, ou não conseguem encontrar o e-mail em que as mudanças foram combinadas.

É nesse tipo de situação que você acaba perdendo o cliente ou, pior ainda: o caso pode ir parar na Justiça.

Não vou nem aprofundar no custo de um processo judicial. Só afirmo o seguinte: evite chegar a isso, se puder.

Sempre que for possível uma solução razoável sem processo judicial, vá por esse caminho.

Por isso, se você quer evitar todo esse transtorno, não fique só na proposta ou negociações informais.

Antes de iniciar os serviços, faça um contrato e coloque tudo o que foi combinado, com riqueza de detalhes.

Se puder, também evite usar o famoso modelo de contrato, desses que você encontra pela internet.

Modelos de contratos são genéricos, e é muito arriscado utilizá-los se você não sabe quais cláusulas são importantes para o tipo de relação específica entre você e o seu cliente.

E você não deve pegar um modelo de internet e apenas acrescentar as cláusulas que quiser.

Muitas vezes, usar um modelo pode ser até pior do que não fazer contrato nenhum.

E se você acrescentar uma cláusula que a lei ou a Justiça considerem abusiva, por exemplo?

Como você vai saber o que pode e o que não pode acrescentar nesse modelo de contrato?

Por isso, sempre que possível, peça ajuda do seu advogado de confiança para elaborar um contrato que seja juridicamente válido, e que preveja todos os cenários possíveis com cláusulas dentro da lei.

Não deixe nada ao acaso.

É assim que você evita conflitos e grandes problemas que poderiam acontecer por futuras divergências com o seu cliente.

Quando tudo é combinado e colocado por escrito, a relação com o seu cliente fica mais leve.

Isso porque não há dúvidas sobre as obrigações e os direitos de cada um na relação.

Agora, voltando ao tema central do texto, tenha o cuidado de colocar cláusulas específicas limitando a quantidade e o prazo de solicitações de alterações que o cliente pode pedir, ou até colocar preço adicional para alterações.

Se você não fizer isso, em tese o seu cliente pode exigi-las quantas vezes ele quiser, e sem pagar adicional por isso.

Eu garanto que essa simples cláusula contratual vai te poupar muitas dores de cabeça e evitar conflitos com o cliente.

Além disso, na minha experiência, os clientes consideram essa clareza e especificidade nos termos da contratação como sinais de profissionalismo e experiência.

Em outras palavras: quando você fizer um bom contrato, o seu cliente vai te respeitar mais como profissional.

E esse é só mais um exemplo de como contratos bem redigidos podem, não apenas evitar prejuízos, mas também gerar lucros.

Você evita conflitos futuros com o seu cliente, o que ajuda a mantê-lo por muitos anos, aumentando o seu lucro e te ajudando a ser percebido como um profissional melhor.

Agora, multiplique esse resultado por todos os seus clientes.

Por essas e outras é que eu sempre recomendo: coloque as suas negociações por escrito, em contratos elaborados de forma profissional.

Você só tem a ganhar.

Ajude alguém

Compartilhe o link desse conteúdo nas suas redes sociais. Talvez alguém que você conheça precise saber disso!

Contatos e mais conteúdo:

meu WhatsApp, canal no YouTube e redes sociais estão aqui.

Informações relacionadas

ContratoRecurso Blog, Advogado
Modeloshá 3 anos

Modelo De Contrato De Trabalho De Experiência - Mod. 1

Bruno Zaramello, Advogado
Artigoshá 5 meses

LGPD e pequenas empresas: por onde COMEÇAR a adequação?

Bruno Zaramello, Advogado
Artigoshá 8 meses

Contrato de seguro de vida pode ser cancelado por atraso em pagamento?

Bruno Zaramello, Advogado
Artigoshá 2 anos

Registre HOJE a sua marca, ou você vai perdê-la

ContratoRecurso Blog, Advogado
Modeloshá 3 anos

Modelo De Contrato De Experiência

6 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Compartimentar a atuação é uma estratégia ótima, além de contribuir na sua precificação. É segurança para ambos. continuar lendo

Exatamente, Ricardo! Agradeço pela ótima contribuição em seu comentário. Um abraço. continuar lendo

Muito bom! continuar lendo

Obrigado, meu querido! continuar lendo

Excelente, Dr @zaramello! continuar lendo

Obrigado, meu amigo! continuar lendo